Qual a diferença entre o urologista e o nefrologista?

Infelizmente ainda há muita confusão quando se falam dessas duas especialidades. Apesar de os rins serem alvo das duas, as áreas de atuação são totalmente diferentes.

A diferença fundamental é que o urologista é um cirurgião de formação. Enquanto o nefrologista é um clínico.  O foco principal de atuação do nefrologista são os rins, enquanto o urologista estende sua atuação ao restante do trato urinário de ambos os sexos e ao sistema genital do homem (próstata, pênis, testículos, etc).

A nefrologia é uma especialidade muito rica e importante. Um nefrologista é um médico muito versátil e acostumado a tratar pacientes com várias doenças associadas.  Fica bastante a vontade com pacientes graves.  Apesar de praticamente tomar conta de um órgão somente, este órgão é vital, consome 20% do sangue que o coração bombeia e pode ser acometido por uma variedade enorme de doenças. O dia a dia dos nefrologistas é a insuficiência renal, seja aguda ou crônica, com necessidade ou não de diálise.  Normalmente um paciente não procura um nefrologista espontaneamente. Geralmente é encaminhado por outros médicos ou começa seu acompanhamento por ocasião de um internamento hospitalar, inclusive pacientes em UTI. O nefrologista é especialista em diálise e em tratar doenças renais de forma clínica, ou seja, com medidas e medicações que não invadem o paciente, com o objetivo maior de não deixar que os pacientes cheguem a fazer diálise ou transplante, ou pelo menos retardar isso ao máximo. Também faz acompanhamento de pacientes antes e depois do transplante renal, tratam hipertensão, nefrites, etc.

O urologista entra em campo quando o rim pode precisar ou precisa de uma intervenção cirúrgica. Exemplos: uma cólica renal por cálculo, uma dilatação do sistema que elimina urina, um tumor, um cisto renal, um traumatismo renal, um defeito de nascença.  Algumas dessas doenças podem se manifestar como uma emergência, como é o caso das cólicas renais, ou crises de rim, que pode trazer danos ao rim e até risco de vida quando não tratados por especialistas. O cálculo renal é a principal doença renal tratada pelo urologista. Estes cálculos geralmente têm sua origem nos rins, mas durante uma crise ou por outros motivos podem estar localizadas em outras partes do sistema urinário como o ureter, a bexiga ou a uretra. Podem ser tratadas de diferentes maneiras a depender de seu tamanho, consistência, localização e composição. Atualmente menos de 4% dos pacientes precisam de cirurgias convencionais com cortes para tratamento de cálculos. Dispomos da litotripsia, da cirurgia percutânea ou mais freqüentemente de cirurgias pelo canal uretral.  Quando se precisa retirar o rim ou operar parte dele, dispomos da cirurgia vídeo-laparoscópica e da cirurgia convencional.

Apesar da afinidade, são especialidades bem diferentes. Mas uma coisa as duas tem em comum: um zelo extremo pelo bom funcionamento dos rins.